sexta-feira, 14 de julho de 2017

Incrível, fotografo faz fotos raras e impressionantes de baleias dormindo

Você provavelmente já tenha pensado algum dia sobre como as baleias e outros animais marinhos dormem, certo? Pois hoje você verá esse fenômeno pouco registrado ocorrendo em pleno oceano. O fotografo Franco Banfi acompanhava um grupo de baleias cachalote quando notou um movimento estranho entre elas, que pararam de se movimentar de repente, ele mergulhou e para sua surpresa as flagrou dormindo, em posição vertical, incrivelmente sincronizadas. Ele aproveitou e tirou fotos incríveis desse momento impressionante desses gigantes e majestosos animais marinhos.

Baleias cachalote foram flagradas pelo fotografo Franco Banfi dormindo

No entanto quando dormem baleias não ficam completamente adormecidas, isso porque apenas uma parte do cérebro dorme e a outra é mantida acordada, isso ocorre porque as baleias precisam estar conscientes para poder respirar.

Baleias cachalote dormindo / Imagem: Franco Banfi

Elas dormem próximo a superfície e fazem pequenos movimentos para se estabilizar e assim não afundar. No caso das cachalotes elas dormem por curtos períodos que duram de 6 a 24 minutos.

Baleia cachalote dormindo / Imagem: Franco Banfi

Embora chamem cachalotes de baleia, eles na verdade não são baleias, apenas parecem, a principal diferença entre eles é que o cachalote tem dentes. Os cachalotes são os maiores animais com dentes existentes atualmente.

Veja mais imagens:

Baleias cachalote dormem apenas cerca de 24 minutos / Imagem: Franco Banfi

As baleias cachalote foram flagradas dormindo perfeitamente sincronizadas
Imagem: Franco Banfi

As baleias dormem próximo a superfície / Imagem: Franco Banfi

Baleias cachalote flagradas dormindo / Imagem: Franco Banfi

Um dos piores lugares para as cachalotes viverem é no Japão, japoneses adoram carne de baleia.

domingo, 4 de junho de 2017

Islâmicos paquistaneses viajam pelo Brasil para pregar o islã e causam pânico na população

A "religião da paz", assim se diz ser o Islã, a segunda maior religião do mundo(é também, talvez, a mais odiada), e buscando levar o islã a outros lugares e atrair novos adeptos um grupo de islâmicos paquistaneses desembarcou em solo brasileiro nas últimas semanas e começaram a busca pela conversão de novos fiéis para Alá, o Deus dos islâmicos.

Grupo de muçulmanos andando em cidade no Maranhão / Imagem: Reprodução

Eles iniciaram as pregações por cidades do Amazonas no final de abril, depois seguiram para o Maranhão onde visitaram e fizeram pregações em cidades da região metropolitana de São Luis. A presença dos muçulmanos vestidos em seus trajes islâmicos deixou a população das cidades preocupada e por onde passavam chamavam a atenção.

A presença dos islâmicos deixou a população em alerta / Imagem: Reprodução

Após tomar conhecimento da presença dos islâmicos a Policia Federal passou a monitorá-los e informou que eles entraram no país por Roraima, com visto de turista, o qual lhes permite permanecer no país por três meses, podendo ser prorrogado por mais três meses.

Muçulmanos em momento de oração durante passagem pelo Maranhão / Imagem: Reprodução

Após deixarem a capital maranhense o grupo seguiu para o Piauí, onde devem pregar em cidades do estado. Maranhão e Piauí são os dois estados do nordeste com o menor número de islâmicos.

Muçulmano prega o islã para maranhense / Imagem: Reprodução

Embora grande parte da população tenha demonstrado preocupação e rejeição a presença dos islâmicos em debates nas redes sociais muitas pessoas defenderam os visitantes e o direito de pregarem o Islã e atacaram os críticos os acusando de intolerância, ignorância e islamofobia.

Muçulmanos começaram as pregações em Iranduba, no Amazonas / Imagem: Reprodução

O Islã:

Criado no século 7 pelo profeta Maomé, em Meca, na atual Arábia Saudita, o Islã é atualmente a segunda maior religião do mundo, atrás apenas do Cristianismo. E mesmo com o radicalismo causado por seu fundamentalismo que tem provocado guerras e ataques terroristas pelo mundo todo orquestrados por organizações terroristas como EI, Al Qaeda e Boko Raran, é também a que mais cresce. Segundo o instituto de pesquisa Pew, o Islã tem hoje cerca de 1,6 bilhão de seguidores e em 2050 terá 2,8 bilhões, sendo seguido por 29,7% da população mundial, um pouco menos que o cristianismo que terá 2,9 bilhões, totalizando 31,4% da população mundial.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Fordlândia, a cidade perdida que Henry Ford construiu no meio da Amazônia

No inicio do século 20 Henry Ford, um dos maiores nomes da história da indústria automobilística, resolveu investir em solo brasileiro, Ford queria investir na produção de borracha e precisaria desbravar a imensidão da floresta amazônica, e foi exatamente isso que o magnata norte-americano fez, Ford investiu dezenas de milhões de reais em um audacioso projeto agroindustrial na amazônia.

A Fordlândia, sonho de Henry Ford acabou em fracasso total / Imagem: Reprodução

O local escolhido pela Ford para implantar o projeto da Fordlândia ficava no Pará, em meio a amazônia. Lá, Ford construiu uma cidade que se tornou, talvez, o seu maior fracasso. Com alto padrão de qualidade de vida, era semelhante as cidades americanos, imitava o estilo de vida e a arquitetura, lá não havia nada de brasileiro a não ser o clima quente e a vegetação da amazônia. Na verdade, foram construídas duas cidades, a Fordlândia e outra que se chamava Belterra. As cidades utópicas são hoje o retrato do que foi um dia um grande e audacioso projeto de um dos mais revolucionários empresários americanos, mas que por diversos motivos estava fadado ao fracasso.

Ruínas da Fordlândia / Imagem: Reprodução

Ford queria produzir látex para fabricar pneus para os carros de sua montadora Ford Motor, mas essa missão acabaria sendo um total fracasso por três motivos: conflitos culturais, desconhecimento sobre botânica e chegada de nova tecnologia para produzir pneus.

A Fordlândia vista do alto em imagem antiga / Imagem: Reprodução

A empreitada de Ford começou totalmente errada desde o inicio, as terras que comprou eram inférteis e pedregosas, inadequadas para o plantio de seringueiras.

Ford também errou ao tentar impor um estilo de vida americano aos trabalhadores da Fordlândia, a cidade foi totalmente construída num estilo americano, casas, restaurantes, escolas, hospital, era exatamente como nas cidades americanas, a alimentação também era americana, a base de espinafre, hambúrguer, etc, os trabalhadores também não gostavam do estilo de trabalho, no qual tinham que usar crachás e seguir rigorosamente ordens, modo de vida ao qual não estavam acostumados, tudo isso gerou um grande conflito cultural, ocasionando inclusive em protestos.

Fordlândia / Imagem: Reprodução

Além disso sua equipe não tinha o conhecimento necessário para trabalhar com o bioma amazônico, isso custou muito caro a Ford que viu a natureza dar um grande golpe que praticamente inviabilizou o seu projeto: as seringueiras da Fordlândia foram plantadas muito próximas uma da outra, isso as tornou um alvo fácil para a disseminação de pragas que dizimaram as plantações. Para tentar salvar o projeto a Ford ainda tentou realocar as plantações em Belterra, onde foi construída uma segunda cidade.

Fordlândia / Imagem: Reprodução

O audacioso projeto de Ford acabou sofrendo o golpe final, dessa vez não da natureza, mas das inovações tecnológicas. Em 1945 foi criada a borracha sintética, feita com derivados de petróleo, assim não tinha mais motivo para a Ford continuar com o projeto, que foi encerrado pelo então presidente da companhia Henry Ford II, neto de Henry Ford.

O empresário Henry Ford em visita a Fordlândia / Imagem: Reprodução

Henry Ford morreu logo depois do fim do projeto, em 1947, aos 83 anos, em Fair Lane, Dearborn, Míchigan, por causa de uma hemorragia cerebral, está enterrado no Cemitério Woodlawn, em Detroit, Michigan.

O que era para ser um grande sucesso acabou sendo um enorme fracasso / Imagem: Reprodução

Após o fim do projeto, a Fordlândia foi praticamente abandonada, mas embora nas imagens pareça uma cidade fantasma muitas pessoas vivem por lá.

Veja mais imagens da Fordlândia:

A Fordlândia hoje é praticamente toda abandonada / Imagem: Reprodução

Mas nem tudo é abandono, ainda há muitas pessoas morando por lá / Imagem: Reprodução

Imagem antiga da Fordlândia / Imagem: Reprodução

O hospital da Fordlândia / Imagem: Reprodução

Salão de festas na Fordlândia / Imagem: Reprodução

Ruínas da Fordlândia / Imagem: Reprodução

Fordlândia, um sonho que virou um completo fracasso / imagem: Reprodução

Embora tanto tempo já tenha se passado desde que a Ford encerrou o projeto a Fordlândia ainda aguarda tombamento pelo IPHAN como patrimônio histórico nacional, enquanto isso não acontece a cidade segue se acabando em ruínas e tendo sua estrutura saqueada.

sábado, 13 de maio de 2017

Enorme criatura morta surge das profundezas do oceano na Indonésia

A carcaça de uma criatura marinha gigante intrigou moradores da remota praia de Hulung, na província de Maluku, na Indonésia, ao surgir no local, na noite da última terça-feira. O animal, de 15 metros de comprimento, que ainda não foi identificado, se parece com uma lula gigante.

Criatura marinha surgiu morta das profundezas do oceanos na Indonésia / Imagem: Facebook-Abhy Hafik

De acordo com o jornal "Jakarta Globe", o pescador Asrul Tuanakota, de 37 anos, passava pela praia e, de longe, chegou a acreditar que a carcaça gigante fosse uma embarcação à deriva. Somente ao se aproximar notou que era uma criatura marinha já em processo de decomposição.

O animal ainda não foi identificado / Imagem: Facebook-Abhy Hafik

Para os moradores da região, a carcaça também pode ser de uma baleia, que pode ter morrido pelo menos três dias antes de aparecer na praia. Cientistas, chamados por autoridades locais, já recolheram amostras da carcaça para identificar o animal.

Corpo de criatura marinha desconhecida surge na Indonésia / Imagem: Facebook-Abhy Hafik

Em redes sociais, moradores postaram fotos que mostram pescadores perto do animal. Por causa do tamanho, foi pedida ajuda do governo para retirar a carcaça da praia.

Essa não é a primeira que criaturas desconhecidas surgem das profundezas do oceano, muitas outras já foram encontradas em praias pelo mundo a fora.

Fonte: Com informações do Extra.

sábado, 25 de março de 2017

Fossa com 800 bebês é achada em antigo orfanato católico na Irlanda

Especialistas descobriram a existência de uma fossa comum em um antigo orfanato católico na Irlanda, onde estariam enterrados sem identificação 800 bebês e crianças. O caso gerou repercussão na Europa no começo de março.

O antigo orfanato "Bon Secours Mother and Baby Home", em Tuam, na Irlanda / Imagem: EPA

Testes de DNA apontaram que as crianças enterradas nas 20 câmaras da fossa tinham idade entre 35 semanas e 3 anos. A investigação foi feita por uma comissão, instituída pelo governo local para apurar a atuação de centros religiosos no auxílio a jovens grávidas, após uma denúncia da historiadora Catherine Corless, que descobrira a certidão de óbito de 800 crianças residentes na instituição, mas nunca os registros de enterro delas.

Local onde foi encontrada fossa com cerca de 800 bebês
no orfanato "Bon Secours Mother and Baby Home", na Irlanda / Imagem: EPA

Localizado na cidade de Tuam, o orfanato "Bon Secours Mother and Baby Home" funcionou entre os anos de 1925 e 1961 como um lar para crianças e mães solteiras jovens.

A comissão afirma que as mulheres e jovens que viveram nas casas católicas e conventos sofreram fome, miséria e tratamentos violentos, o que levou à morte de várias meninas e de seus bebês.

Crianças no antigo orfanato "Bon Secours Mother and Baby Home", na Irlanda /
Imagem: AdoptionRightSalliance

Muitas jovens trabalhavam gratuitamente em troca do auxílio das freiras na gravidez e no parto. Após os bebês nascerem, eles eram colocados em uma ala separada da de suas mães e entregues para adoção.

Crianças brincando no orfanato "Bon Secours Mother and Baby Home", na Irlanda /
Imagem: AdoptionRightSalliance

Lançado em 2013, o filme "Philomena" narra um episódio inspirado em fatos reais ocorridos na Irlanda em 1952, com uma mulher que engravidou na adolescência, foi mandada para o convento Roscrea e teve seu filho vendido pelas freiras católicas.

Berçário no antigo orfanato católico de Tuam, na Irlanda / Imagem: AdoptionRightSalliance

Em 2014, a mulher que inspirou o filme, a irlandesa Philomena Lee, reuniu-se com o papa Francisco, no Vaticano. Atualmente, ela está à frente do "Philomena Project", que tenta ajudar outras mães a encontrarem seus filhos e luta para que o governo irlandês promulgue uma lei que permita consultas a registros de crianças adotadas.

Fonte: Uol e TheSun